Especialidades

    » Adaptação de lentes de contato RGPs Especiais
  • Ceratocone (dos iniciais aos mais avançados e extremos)
  • • Ceratocone induzido por Lasik (ceratoectasias)
  • • Ceratoglobo (keratoglobus)
  • • Lente de Contato Pós-Implante de Anel
  • • Lentes de Contato Pós-Crosslinking
  • • Degeneração Marginal Pelúcida (DMP)
  • Pós-Transplante de Córnea (transplantados)
  • Pós-Seqüelas de cirurgias refrativas (PRK, Lasik, Lasek, Epi-lasik, etc.)
  • • Aberrações de baixa e alta ordem
  • Pós-Trauma (acidentados)
  • Olho Seco, Síndrome de Sjöern, Síndrome de Stevens Johnson (Lentes RGPs Semi-Esclerais)
  • Alta e baixa miopia, hipermetropia, afacia, astigmatismos elevados
  • Complicações de lentes gelatinosas e descartáveis
  • • Adaptação e Readaptação ("não posso usar", "não me adaptei", ect.)
  • Presbiopia (vista cansada) / Lentes RGPs e Gelatinosas Multifocais
    • » Exames Oftalmológicos
  • • Avaliação da córnea e acuidade visual
  • • Avaliação de Síndrome de Olho Seco e Alergia Ocular
  • • Testes de lentes de contato RGPs, gelatinosas e Descartáveis
  • • Refração computadorizada e manual
  • • Ceratometria computadorizada e manual
  • • Topografia Computadorizada
  • • Fundoscopia (Fundo de olho)
  • • Tonometria (Pressão Intraocular)
  • • Mapeamento de retina
    • » Treinamento e orientação:
  • • Óculos: Adaptação, uso e conservação de óculos.
  • • Lentes de Contato: Como colocar/retirar, limpeza e conservação de lentes de contato
  • • Cirurgia: Orientações quanto a cuidados, colírios e medicamentos pré e pós-cirúrgicos
  • • Acompanhamento e readaptação de lentes de contato pós-cirúrgias
    • » Cirurgias Oftalmológicas
  • • Cirurgia da Catarata com Lente Intraocular
  • • Cirurgia de Pterígio
  • • Cirurgia de Glaucoma
  • • Cirurgia de Estrabismo
  • • Cirurgia de Pálpebras (Plástica Ocular)
  • • Crosslinking Transepitelial (atualmente em estudo)
    • » Lentes de Contato
  • • Lente de Contato RGP Multifocal Lifestyle
  • • Lente de Contato RGP Ultraflat (MS/SSB/SB)
  • • Lente de Contato Escleral Scleral Bastos e Semi-Escleral Semi-Scleral Bastos
  • • Polimento, limpeza e recuperação de lentes rígidas adaptadas no IOSB
    • » O que nós não fazemos:
  • • O IOSB não faz cirurgia refrativa
  • • O IOSB não faz implante de anel.
  • • O IOSB não corrige lentes adaptadas em outro local

  • • Ceratocone

    O uso de lentes de contato de alta tecnologia e desempenho superior é fundamental para garantir ao paciente conforto, boa visão e especialmente manter a saúde fisiológica e a integridade da córnea. Lentes mal adaptadas ou inadequadas provocam lesões no epitélio corneano, podendo chegar a erosões, ceratites importantes e até mesmo provocar um leucoma ou nébula em caso de hidropsia corneana. Estas situações devem ser evitadas.

    O IOSB desenvolve soluções personalizadas para casos de ceratocone dos iniciais aos mais complexos, especialmente naqueles casos onde o paciente teve dificuldades ou não conseguiu se adaptar com outras lentes. São mais de 40 anos de pesquisa e desenvolvimento pioneiro na reabilitação visual de córneas irregulares iniciados pelo seu fundador Dr. Saul Bastos e por seu filho Luciano Bastos.

    A lente Ultracone é uma lente de contato asférica, tipo Soper modificada. Contém inúmeros avanços tecnológicos que permitem ao paciente adaptar-se com lentes que proporcionam conforto, segurança e a melhor acuidade visual possível de se obter. A lente Ultracone é adaptada desde os casos mais iniciais onde o paciente já não obtém uma visão que satisfaça suas necessidades até os casos onde o paciente tem indicação de transplante. O IOSB trata de pacientes que estão com indicação de transplante com ceratocones extremamente avançados, mas que conseguem com estas lentes especiais ter uma acuidade visual muitas vezes surpreendente.

    O IOSB dá aos seus pacientes toda a orientação para os cuidados que devem ter com seus olhos e com suas lentes, incluindo treinamento e orientação de parentes quando necessário, tranqüilizando o paciente para que possa retomar a sua vida profissional e social.

    Embora o ceratocone seja a patologia encontrada em mais de 95% dos casos de ectasias corneanas, há alguns pacientes que possuem diagnósticos diferenciados como os descritos logo após o ceratocone no título. O ceratoglobo e a degeneração marginal pelúcida são ectasias corneanas parecidas com o ceratocone, porém possuem diferenças que são importantes para a correta adaptação de lentes que permitam oferecer a melhor correção óptica possível com segurança e conforto para o paciente.

    A ectasia iatrogênica, ou o ceratocone induzido pós-cirurgia refrativa também é uma das especialidades do IOSB, necessitando as vezes o uso de soluções como a Ultracone em suas diferentes versões e até mesmo com o uso das novas lentes RGPs semi-esclerais SSB desenvolvidas por Luciano Bastos.

    O IOSB dá garantia de 100% aos pacientes e dependendo do caso a entrega das lentes é bastante rápida, dependendo da disponibilidade do paciente e da complexidade do caso.

    Pacientes de todo o Brasil e do exterior procuram o IOSB mensalmente a procura de soluções personalizadas e únicas que possam devolver-lhes a acuidade visual com conforto e segurança.


    • Pós-Transplante de Córnea

    Os pacientes submetidos ao transplante de córnea muitas vezes necessitam de correção visual devido a limitação de visão que os óculos proporcionam e as vezes até mesmo não adiantam muito. O uso das lentes desenvolvidas pelo Dr. Saul e por seu filho no IOSB, as lentes Ultraflat permite aos pacientes a adaptação de lentes de alta tecnologia, com conforto e segurança, oferecendo a estes pacientes uma bem melhor acuidade visual.

    Os casos de pós-transplante de córnea requerem geralmente soluções personalizadas, sendo então necessário planejamento das lentes a serem adaptas que irão proporcionar os melhores resultados. A cirurgia de transplante tradicional, a ceratoplastia penetrante, muitas vezes provoca irregularidades na superfície corneana, o que por sua vez gera astigmatismos irregulares prejudicando a melhor visão. Nem sempre os óculos irão resolver, o ideal é a adaptação de lentes especiais do tipo Ultraflat ou semi-escleral SSB (Semi-Scleral Bastos) que são técnicas não invasivas e que podem inclusive ajudar a proteger o transplante.

    Os resultados são surpreendentes, muitos pacientes procuram o IOSB para este tipo de adaptação devido ao fato de não obterem bons resultados com outras lentes, inclusive vindo para a consulta inicial com lesão provocada pelo uso de lentes inadequadas. O paciente transplantado tem que ter cuidado com seus olhos, especialmente por ter já submetido-se a um procedimento cirúrgico extremamente invasivo no qual foi implantada uma córnea doada.

    A adaptação de lentes no pós-transplante deve prever uma lente que não irá tocar na região onde foram feitas as suturas e nem na borda do enxerto, para preservar esta região e proteger a córnea.


    • Pós-Seqüelas de Cirurgias

    Alguns pacientes que foram operados pela antiga técnica do RK (Refractive Radial Keratotomy ou Ceratotomia Radial Refrativa) ficaram com uma córnea muito irregular, com as incisões marcadas e freqüentemente sentem toda a sorte de seqüelas como starburst (efeito-estrela), ghost (imagem fantasma), halos, perda de sensibilidade ao contraste, visão dupla ou múltipla e uma série de aberrações visuais que geralmente intensificam-se ao entardecer e a noite.

    Da mesma maneira (embora em um percentual bem menor) alguns pacientes submetidos à técnicas de correção cirúrgica a laser por excimer laser (técnicas como o PRK, mesmo com wave front, Lasik, mesmo o Lasik Personalizado, entre outras técnicas) também descobrem com o passar do tempo que alguns dos incômodos visuais citados acima estão afetando sua qualidade visual, mesmo que a acuidade visual esteja boa. São conceitos distintos, acuidade visual e qualidade ou conforto visual, embora pouco se comente essa questão no meio científico.

    A adaptação de lentes especiais RGPs asféricas podem ao menos amenizar em grande montante essas aberrações de baixa e alta ordem, devolvendo ao paciente uma maior qualidade visual e eventualmente permitindo a ele retomar simples atividades que ficaram complicadas como dirigir a noite. Geralmente o uso de lentes Ultraflat e a semi-escleral SSB (Semi-Scleral Bastos) podem colaborar para que o paciente tenha condições de ter uma melhor qualidade e acuidade visual, com conforto e segurança. Uma preocupação freqüente dos pacientes é quanto a questão do conforto, geralmente esses pacientes tiveram experiências desastrosas com lentes ruins ou mal adaptadas anteriores a cirurgia.


    • Pós-Trauma

    O IOSB é especializado na adaptação de lentes especiais, geralmente de grandes diâmetros como a lente Ultraflat e a semi-escleral SSB (Semi-Scleral Bastos). O uso de lentes especiais no pós-trauma pode ser uma excelente ferramenta para a reabilitação de pacientes que sofreram acidentes ou queimaduras mas a córnea pode ser preservada por cirurgia reparadora ou por tratamento. São casos especiais que necessitam de uma avaliação criteriosa e exames específicos para poder planejar uma lente que irá proporcionar conforto, a melhor acuidade visual possível e preservar a saúde fisiológica corneana.

    Casos onde o paciente acidentado foi operado e reconstituiu-se a córnea, mesmo tendo perfuração da íris e comprometimento da pupila, podem ser tratados com estas lentes.


    • Olho Seco, Síndrome de Sjöern, Síndrome de Stevens Johnson

    As lentes semi-esclerais SSB (Semi-Scleral Bastos) e as lentes esclerais SB (Scleral Bastos) são utilizadas também com finalidades terapêuticas em várias patologias associadas ao olho seco. Utiliza-se uma lente de grande diâmetro que é preenchida com líquido próprio, saudável para a córnea. Esta lente irá formar uma reserva líquida a qual irá promover o re-equilíbrio fisiológico gerando um ambiente saudável para a córnea.

    Pacientes com síndrome de olho seco, Síndrome de Sjrögen, Síndrome de Stevens Johnson, entre outras patologias graves que afetam a córnea, podem ser beneficiados com a adaptação destas lentes especiais. O IOSB é pioneiro neste tipo de adaptação no Brasil, utilizando lentes RGPs esclerais e Semi-Esclerais de altíssima oxigenação, desenvolvidas em pesquisas científicas e clínicas desde 2003.

    Estas adaptações requerem um tempo maior entre testes e a produção das lentes finais do paciente, portanto é importante ter em mente que estes casos necessitam de um acompanhamento mais freqüente que pode ser feito em combinação com um especialista da cidade do paciente, sendo ele de outro estado especialmente.


    • RGPs Asféricas de Alta Performance

    Naturalmente que o IOSB adapta regularmente lentes de contato rígidas de alta qualidade e tecnologia em casos de miopia, alta miopia, astigmatismos, hipermetropia e afacia, assim como é especializado em casos de pacientes que não conseguiram ou não conseguem adaptar-se com lentes rígidas. É freqüente alguns pacientes acreditarem que todas as lentes rígidas são desconfortáveis. Especialmente aqueles que passaram por experiências ruins e em diversos especialistas sem obter sucesso. Essa é uma de nossas especialidades, e uma das mais fáceis de resolver. As lentes RGPs Asféricas Ultralentes são adaptadas com grande sucesso em todos os casos de ametropias das mais baixas até as mais altas, proporcionando excelentes resultados para os pacientes.


    • Complicações de Lentes Gelatinosas e Descartáveis

    Alguns pacientes usuários de lentes gelatinosas e descartáveis eventualmente desenvolvem intolerância alérgica a estas lentes. O IOSB procura readaptar o paciente com lentes que restabeleçam harmonicamente a adaptação, utilizando para este fim as mais recentes e avançadas tecnologias de terceira geração em lentes hidrofílicas de silicone hydrogel, lentes descartáveis e lentes gás permeáveis de última geração.


    • Presbiopia ou “Vista Cansada”

    A presbiopia não é uma doença, mas sim uma perda da capacidade da lente natural do olho, o cristalino, de contrair e expandir (acomodação) o que causa uma dificuldade de focar objetos para perto tanto no homem quanto na mulher ao redor dos 40 anos de idade. É possível que algumas pessoas sintam antes ou mesmo após os 40 anos, mas geralmente nessa época começa a dificuldade para ler, especialmente se o texto for com letras pequenas.

    A presbiopia é geralmente corrigida com óculos, utiliza-se um óculos pequeno com grau positivo (de adição) que ajuda na leitura, ou então através de lentes multifocais. Para os usuários de lentes de contato que se tornam présbitas, chamados novos présbitas, essa condição é nova, pois eles usam lentes de contato e possivelmente não imaginavam que um dia iriam necessitar de óculos. Alguns optam por usar apenas óculos para leitura, conforme a necessidade, outros preferem recorrer as lentes de contato que podem ajudá-los a superar esta nova adversidade.

    Corrigir a presbiopia através de lentes de contato requer muita experiência do especialista, há mais de uma maneira de resolver a dificuldade e o melhor meio tem que ser estudado juntamente com o paciente. Uma técnica mundialmente utilizada é a da monovisão, na qual um dos olhos é corrigido para longe e o outro é corrigido para perto, mas com os dois olhos abertos o paciente praticamente não percebe a diferença e “vê” bem tanto para longe como para perto e para intermediário que se dá através da combinação de ambos os olhos. Embora essa técnica funcione em muitos casos, há pacientes que se queixam de que a visão não fica satisfatória, para estes há outras opções.

    O IOSB é especializado na adaptação de lentes de contato multifocais rígidas gás permeáveis e gelatinosas. O uso de lentes multifocais gelatinosas é limitado devido a pouca adição disponível, o que possibilita apenas aos jovens présbitas um conforto visual adequado. Para os pacientes présbitas que requerem maior adição o IOSB adapta lentes multifocais Lifestyle Ultra GP as quais possibilitam adições de até +3.50 dioptrias, atendendo a praticamente todas as necessidades de adição para perto de pacientes de qualquer idade.

     
     
    Endereço: Rua Dr. Flores, 323 - 1º andar · Centro · Porto Alegre · RS Copyright 2010 IOSB - Todos os direitos reservados Telefones: (51) 3226.0746 / (51) 8444.5050 » E-mail: iosb@iosb.com.br